Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/16835
Title: A iluminação nos edifícios - Uma abordagem no contexto da sustentabilidade e eficiência energética
Authors: Santos, A. J.
Keywords: Iluminação de edifícios;Iluminação natural;Iluminação artificial;Conforto em edifícios;Iluminação interior;Tecnologia da construção;Economia de energia;Desenvolvimento sustentável
Issue Date: 2009
Publisher: LNEC
Series/Report no.: COM 133
Abstract: O principal objectivo da iluminação nos edifícios é o de criar um ambiente visual que permita aos ocupantes verem, deslocarem-se em segurança e desempenharem as diferentes tarefas visuais eficazmente e com precisão, sem causar fadiga e desconforto visuais indevidos. Adicionalmente, os sistemas de iluminação (natural e artificial) deverão ainda ser energeticamente eficientes, minimizando eventuais impactes energéticos negativos. Proporcionar uma boa iluminação requer que se consagre igual atenção aos aspectos quantitativos e aos aspectos qualitativos da iluminação. A existência de iluminâncias suficientes para a realização das tarefas visuais (principal exigência quantitativa) constitui, naturalmente, uma condição necessária, mas em muitas situações a visibilidade das tarefas visuais depende ainda de outros factores como sejam: o modo como a luz é disponibilizada, as características de cor das fontes de iluminação e das superfícies e os níveis de encandeamento presentes (aspectos qualitativos). Numa perspectiva de conforto e eficiência energética é desejável que a iluminação dos espaços interiores seja efectuada, preferencialmente, com recurso à luz natural devendo esta ser suplementada por sistemas de iluminação eléctrica eficazes e flexíveis quando as necessidades de iluminação não possam ser satisfeitas apenas à custa da luz natural. Deste modo, o aproveitamento da iluminação natural nos edifícios, e em particular naqueles com ocupação predominantemente diurna, pode contribuir de modo significativo para a eficiência energética, o conforto visual e o bemestar dos seus ocupantes. Neste sentido, as estratégias de aproveitamento da luz natural deverão ter em consideração os potenciais ganhos e perdas térmicas (eventuais sobreaquecimentos nos períodos quentes, arrefecimentos nos períodos frios e os ganhos de calor devidos à utilização da iluminação artificial), a diminuição dos consumos energéticos (ao substituir a iluminação artificial e ao diminuir ou eliminar o recurso à climatização mecânica) e ainda, os benefícios mais subjectivos para os ocupantes decorrentes da utilização da luz natural em vez da luz artificial e do usufruto da visão para o exterior. Com a presente comunicação pretende-se abordar alguns dos principais factores em jogo no projecto da iluminação natural dos edifícios, tendo por enquadramento geral as exigências de conforto, eficiência energética e sustentabilidade, bem como abordar os mais recentes desenvolvimentos aplicáveis a climas com predominância de céus não-encobertos.
URI: http://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/16835
ISBN: 978-972-49-2123-5
Appears in Collections:DED/NAICI - Comunicações a congressos e artigos de revista

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.