Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/1009821
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSantos Silva, A.pt_BR
dc.contributor.authorSoares, D.pt_BR
dc.contributor.authorDivet, L.pt_BR
dc.contributor.authorRibeiro, A. C.pt_BR
dc.contributor.editorArlindo Gonçalves, José Manuel Catarino, António Santos Silva, Luís Oliveira Santos, António Bettencourt Ribeiro, António Lopes Batista e João Custódiopt_BR
dc.date.accessioned2017-08-21T08:20:09Zpt_BR
dc.date.accessioned2018-03-06T16:21:32Z-
dc.date.available2017-08-21T08:20:09Zpt_BR
dc.date.available2018-03-06T16:21:32Z-
dc.date.issued2016-09pt_BR
dc.identifier.isbn978-972-49-2286-7pt_BR
dc.identifier.urihttp://dspace2.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/1009821pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/1009821-
dc.description.abstractNos últimos anos vários casos de degradação prematura de estruturas de betão têm sido relacionados com a reação sulfática interna (RSI). Esta forma de degradação está relacionada com a remobilização dos sulfatos incluídos na matriz de cimento, devido ao aquecimento excessivo do betão durante as idades iniciais, que conduzem à formação de etringite expansiva (também conhecida por delayed ettringite formation - DEF). Verifica-se que a DEF aparece em betões expostos a humidade frequente e que foram submetidos a um tratamento térmico (T> 65 °C) ou terão atingido temperaturas elevadas por outra razão (elevada dosagem em cimento, peças muito espessas, betonagem durante o verão, etc.). A prevenção da RSI é normalmente efetuada tendo em vista a eliminação de pelo menos um dos fatores que a promovem, nomeadamente pelo controlo da temperatura máxima do betão, dosagem e composição do ligante e humidade. Algumas adições minerais têm a capacidade de reagir com o hidróxido de cálcio da hidratação do cimento, formando compostos hidratados como o silicato de cálcio hidratado, e assim controlar a alcalinidade da solução dos poros do betão, inibindo a formação dos produtos expansivos. No entanto, não há ainda dados suficientes sobre o desempenho a longo prazo dos diferentes tipos de adições. Nesta comunicação apresentam-se e discutem-se os resultados de ensaios de expansão de betão com diferentes tipos de adições minerais (cinzas volantes de carvão, metacaulino, escórias granuladas de alto-forno, sílica fumo, lamas de minas de tungsténio, cinzas de biomassa e fíler calcário) referentes a cerca de 8 anos de acompanhamento, e tecem-se algumas considerações sobre os teores a considerar na prevenção da DEF.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherLNECpt_BR
dc.relation.ispartofseriesRNI;96pt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectBetãopt_BR
dc.subjectRSIpt_BR
dc.subjectDEFpt_BR
dc.subjectPrevençãopt_BR
dc.subjectAdições mineraispt_BR
dc.titlePrevenção da reação sulfática interna no betão. Resultados a longo prazo do efeito de adições mineraispt_BR
dc.typeconferenceObjectpt_BR
dc.identifier.localedicaoLisboapt_BR
dc.description.pages12ppt_BR
dc.identifier.localLNEC - Lisboapt_BR
dc.description.sectorCD/CDpt_BR
dc.identifier.proc0204/112/19701pt_BR
dc.identifier.conftitleII Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão (DEGRADA 2016)pt_BR
dc.contributor.peer-reviewedSIMpt_BR
dc.contributor.academicresearchersNAOpt_BR
dc.contributor.arquivoSIMpt_BR
Appears in Collections:DM/NMM - Comunicações a congressos e artigos de revista

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DEGRADA_2016_paper_8.pdf1.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.