Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/1008752
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorOliveira, J. N.pt_BR
dc.contributor.authorOliveira, F. S. B. F.pt_BR
dc.date.accessioned2016-11-03T10:38:03Zpt_BR
dc.date.accessioned2017-04-13T08:31:46Z-
dc.date.available2016-11-03T10:38:03Zpt_BR
dc.date.available2017-04-13T08:31:46Z-
dc.date.issued2016-09pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/1008752-
dc.description.abstractA necessidade de proteger as povoações costeiras e mitigar o efeito erosivo observado na costa oeste portuguesa, resultante da carência sedimentar, levou a que a extensão de 30 km de linha de costa (LC) a sul da Figueira da Foz tenha sido fortemente intervencionada através da construção de esporões e defesas longitudinais aderentes. Este estudo caracteriza o transporte sedimentar potencial induzido pela agitação marítima combinada com a variação do nível do mar devida às marés astronómica e meteorológica a sul da embocadura do rio Mondego, no período de 1952 a 2010. Com base na análise estatística da série temporal de parâmetros de onda (hindcast) relativos ao referido período, identificou-se um regime com grande variabilidade interanual e sazonal e bastante energético, com 40% de ocorrência de Hs superior a 2 m e direção média 299.5ºN. Do cálculo do transporte longitudinal potencial (LITDRIFT) destacam-se valores anuais bastante variáveis, entre 580 1500 x103 m3.ano-1, com deriva para sul de média 385 x103 m3.ano-1 em 78% dos anos, identificando-se também a distribuição transversal do transporte longitudinal na zona ativa, com extensão variável (~2000 m). Entre 2008 e 2010 foi prolongado o molhe norte da embocadura do rio Mondego em cerca de 400 m, motivando o principal objetivo do presente estudo: avaliar o impacte desse prolongamento nas praias a sul, recorrendo a modelação numérica (LITLINE). O modelo de evolução de LC foi calibrado (1996-2001) e verificado (2001-2008) com base em LC observadas e dados de agitação marítima sinóticos. A previsão da evolução nos 12 anos subsequentes ao prolongamento evidencia um recuo generalizado da LC, acentuado a sotamar dos esporões existentes.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectTransporte sedimentar longitudinalpt_BR
dc.subjectEvolução da linha de costapt_BR
dc.subjectFigueira da Fozpt_BR
dc.subjectModelação numéricapt_BR
dc.subjectProcessos costeirospt_BR
dc.titleImpacte do prolongamento do molhe norte da embocadura do rio Mondego nas praias adjacentes a sulpt_BR
dc.typereportpt_BR
dc.identifier.localedicaoLNEC, Lisboapt_BR
dc.description.sectorDHA/NECpt_BR
dc.identifier.proc0604/1307/19596pt_BR
dc.contributor.arquivoSIMpt_BR
Appears in Collections:DHA/NEC - Relatórios Científicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Relatório_lc.pdfMain text9.26 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.