Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/1003767
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSimões, N. E.pt_BR
dc.contributor.authorLeitão, J. P.pt_BR
dc.contributor.authorOchoa, S.pt_BR
dc.contributor.authorPina, R.pt_BR
dc.contributor.authorWang, L.pt_BR
dc.contributor.authorSá Marques, A.pt_BR
dc.contributor.authorMaksimovic, C.pt_BR
dc.date.accessioned2012-09-07T14:26:27Zpt_BR
dc.date.accessioned2014-10-20T12:57:50Zpt_BR
dc.date.accessioned2017-04-13T09:07:27Z-
dc.date.available2012-09-07T14:26:27Zpt_BR
dc.date.available2014-10-20T12:57:50Zpt_BR
dc.date.available2017-04-13T09:07:27Z-
dc.date.issued2012-02pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.lnec.pt:8080/jspui/handle/123456789/1003767-
dc.description.abstractUm dos aspectos mais críticos nos sistemas de previsão de cheias em tempo real é o tempo que medeia entre a previsão da precipitação que pode provocar uma cheia e o instante em que a cheia realmente ocorre. Assim, o tempo da simulação hidráulica deve ser o mais curto possível sem, no entanto, perder exactidão dos resultados (espacial e temporal). Este trabalho testa um novo conceito de modelo de drenagem dual em que os modelos tradicionais 1D1D e 1D2D são combinados num mesmo modelo de forma a combinar as vantagens de cada um deles e a evitar os seus inconvenientes. Os modelos usados neste artigo permitem simular simultaneamente a rede de colectores e a rede de drenagem superficial. A rede de drenagem superficial pode ser modelada com base em abordagens unidimensional (1D), bidimensional (2D) ou de modelo híbrido (1D na maioria da bacia e 2D em zonas mais vulneráveis a fenómenos de cheias). Os resultados obtidos mostram que os modelos 1D2D ainda não são adequados para previsão em tempo real devido ao longo tempo necessário para a obtenção de resultados da simulação hidráulica. Por outro lado os modelos 1D1D são muito mais rápidos, mas os resultados obtidos não são tão precisos como aqueles obtidos com o modelo 1D2D. Os modelos híbridos conseguem obter um bom desempenho em termos de alturas de água e caudais, com um tempo de simulação muito inferior ao modelo 1D2D.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherAPRHpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectModelos de drenagem urbanapt_BR
dc.subjectModelos híbridospt_BR
dc.subjectCheia de origem pluvialpt_BR
dc.subjectPrevisão de cheiaspt_BR
dc.titleModelos de drenagem dual para a previsão de cheia urbanaspt_BR
dc.typeconferenceObjectpt_BR
dc.description.figures8pt_BR
dc.description.tables1pt_BR
dc.description.pages10ppt_BR
dc.identifier.seminario11º Congresso da Águapt_BR
dc.identifier.localPortopt_BR
dc.description.sectorDHA/NESpt_BR
dc.description.year2012pt_BR
dc.description.data6 a 8 de fevereiropt_BR
Appears in Collections:DHA/NES - Comunicações a congressos e artigos de revista

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
187.pdf2.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.